Kadu Doy, artista visual, formado pelo seu vínculo de mais de 20 anos com a cultura de rua. Influenciado pela caligrafia marginal e a fluidez da escrita, há uma forte influência da arte japonesa, essencialmente da caligrafia, o “Shodô“ e da pintura o “Sumiê“.

O artista aplica tinta preta sobre superfície branca, criando o contraste, tem como referência o cotidiano da grande cidade, retratando a vida das pessoas moram na rua. Faz auto-observação, exercício de reestruturação de um trabalho interno para execução das pinturas.