LABCIDADE - Poesia no Concreto

Poesia no Concreto é uma exposição que acontece na rua, no espaço urbano, a céu aberto, nas proximidades da Choque Cultural, Vila Madalena, São Paulo.
É uma celebração do novo movimento de poesia urbana que está crescendo em São Paulo e outras cidades brasileiras.
Para ver/participar da exposição, siga os doze números pintados no chão pelo Coletivo 6emeia. Ao longo do percurso balizado pelos números, surgem coladas em cartazes, pintadas com estêncil, rabiscadas à mão, poemas visuais de vários artistas. Abaixo, os artistas que foram convidados para essa exposição:

Coletivo Transverso (Brasília) – frases rápidas e humoradas, às vezes ácidas, às vezes básicas.
Lau Guimarães (São Paulo) – narrativas curtas e íntimas integram espaço físico e poético.
Onde Jazz Meu Coração (Cuiabá) – poesia de coração, a parte mais (o)usada do corpo
Ana Persona (São Paulo) – micro-contos, foto-narrativas, mini-novelas, tudo sem começo-meio-fim.
VJSuave (Buenos Aires) – a frase que marcou a cidade: “Mais Amor Por Favor” é dele.
Mauro Neri (São Paulo Grajaú) – Vi Ver a Cidade de ângulos e por lugares diversos.
Thiago Cervan (Atibaia) – sua poesia parece simples mas as aparências esganam.
Marina Rima (São José do Rio Preto) – sua palavra se espalha em f r
a g m
e n t o s

POESIA NO CONCRETO faz parte do programa LABCIDADE – uma experiência curatorial para o espaço urbano, que envolve novas tecnologias digitais e transforma a cidade num laboratório de práticas culturais interconectadas. Colaboração, Participação e Continuidade. LABCIDADE não teve um começo definido e não tem um fim programado. É uma continuidade de ações eu se acumulam, combinam, contaminam contrapõem permanentemente. : http://www.choquecultural.com.br/2016/01/22/choque-cultural-e-labcidade-apresentam-dia-2501/

LABCIDADE não acontece num lugar certo, nem num lugar errado, mas no lugar em constante transformação que é a cidade, as cidades, os bairros, os territórios culturais que colonizamos ou deixamos colonizar.
LABCIDADE é a tomada (220) do espaço público
Realização Choque Cultural, produção República das Bananas, fotografia e vídeo Sylvia Sanches, comunicação Agência Lema. Agradecimentos: Subprefeitura de Pinheiros, Conselho Rua Aberta Medeiros de Albuquerque e todos os artistas e pessoas que fazem a Vila Madalena mais humana.

Fica só e escuta o barulho da chuva
Fica só e escuta o barulho…

Street Art

R. Aspicuelta, 145 - Alto de Pinheiros, São Paulo - SP, 05433-010,…

Era uma vez agora
Era uma vez agora

Street Art

R. Aspicuelta, 109 - Vila Madalena, São Paulo - SP, 05433-000, Brazil

As melhores coisas da vida não são coisas
As melhores coisas da vida não…

Street Art

R. Aspicuelta, 17 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05433-010, Brazil

Foice o tempo
Foice o tempo

Street Art

R. Medeiros de Albuquerque, 250 - Jardim das Bandeiras, São Paulo -…

Nem tudo que brilha é ouro
Nem tudo que brilha é ouro

Street Art

R. Medeiros de Albuquerque, 95 - Jardim das Bandeiras, São Paulo -…

A escola de quem não tem é a rua
A escola de quem não tem…

Street Art

Rua Harmonia, 22-38 - Sumarezinho, São Paulo - SP, Brazil

Lambe em lixeira
Lambe em lixeira

Street Art

Rua Harmonia, 102 - Sumarezinho, São Paulo - SP, Brazil

Insustentáveis (Hotel Urbis)
Insustentáveis (Hotel Urbis)

Street Art

Insustentáveis Hotel Urbis

Loading...